Notícias | Grupo Lena

Saltar para conteúdo
Logótipo: Grupo Lena
Foto Informação InstitucionalFoto Informação InstitucionalFoto Informação InstitucionalFoto Informação InstitucionalFoto Informação InstitucionalFoto Informação InstitucionalFoto Informação InstitucionalFoto Informação InstitucionalFoto Informação Institucional

Notícias 

28, Julho 2014

Grupo Lena ganha 60 milhões em obras na Argélia

 Grupo Lena ganha 60 milhões em obras na Argélia
O Grupo Lena reforça a sua presença na Argélia com duas novas obras no valor global de 60 milhões de euros, adjudicadas pela Direção dos Projetos de Realização de Infraestruturas Sociais, do Ministério da Defesa Nacional da Argélia. As empreitadas consistem na construção de uma unidade hoteleira de quatro estrelas na maior província argelina, Tamanrasset, e outra de três estrelas em Setif.

Presente no mercado argelino desde 2005, o Grupo Lena conta com um portefólio de obras em diversas vertentes técnicas, tais como portos marítimos, infraestruturas hospitalares, vias de comunicação que representam mais de duzentos e cinquenta quilómetros de estradas e, mais recentemente, edifícios residenciais e parques de estacionamento. As principais obras realizadas ascendem a 117 milhões de euros, com recurso a meio milhar de colaboradores locais e quatro dezenas de expatriados.


Atualmente, estão em curso neste país dez empreitadas, numa carteira superior a 700 milhões de euros. Destacam-se o Hospital de Tamanrasset e o Hospital de Blida, ambos de 168 camas, iniciados em 2012 com data de conclusão prevista para 2014 e 2015, o complexo imobiliário “La Tour des Galets”, na cidade de Oran, num investimento de aproximadamente 5,6 milhões de euros e uma unidade hoteleira de 4 quatro estrelas, também em Oran, com o valor aproximado de 15 milhões de euros.


«A internacionalização é um dos pilares de crescimento do Grupo Lena, com um peso de 55% nas atividades em 2013, prevendo-se que ultrapasse os 90% em 2018», refere Joaquim Paulo Conceição, presidente da comissão executiva do Grupo Lena. «Queremos ser um dos principais grupos ibéricos ligados à construção, ambiente e energia, com uma presença internacional sustentada, rentabilidades ao nível das melhores práticas e uma estrutura de capitais equilibrada», conclui.


Recentemente o Grupo Lena assinou um protocolo de cooperação internacional com 17 empresas portuguesas de engenharia e construção, no âmbito de um objetivo de internacionalização que aponta para a construção de 200 mil fogos habitacionais em pelo menos seis países, até 2020, o que representa um volume de negócios superior a 10 mil milhões de euros. O projecto “Casas para o Mundo” permitirá ainda ao Grupo Lena e às empresas parceiras a entrada em novos mercados de África e América do Sul.

1, Julho 2014

A Nova Dimensão Grupo Lena - 3D

A Nova Dimensão Grupo Lena - 3D
Nos últimos quatro anos de transformação profunda, o Grupo Lena tem vindo a concentrar-se em novos desafios associados a um lema motivador. Em 2010, deu-se início ao Plano de Transformação apelando aos “Mesmos Valores com uma Nova Atitude”. Este ano representou o aquecimento para um 2011 de “Compromisso com a Ação”.

Nestes 4 anos, 2011 foi talvez o ano mais difícil e mais determinante para o futuro do Grupo Lena. Foi o ano da construção integrada e da reestruturação financeira do Grupo.


Em 2012, aliou-se a ação à focalização. Muita ação sem focalização pode comprometer os resultados. A “Focalização com Sentido” surgiu naturalmente como o desafio de sempre: ser “Um dos principais Grupos Ibéricos ligados à Construção, Ambiente e Energia, com uma presença internacional sustentada, rentabilidades ao nível das melhores práticas e uma estrutura de capitais equilibrada”.

 

A “Internacionalização com Valores” chegou em 2013. O objetivo era, e é, deixar uma marca distintiva em cada um dos mercados internacionais. Este ano foi de mudança estrutural na origem dos negócios: pela primeira vez, o Volume de Negócios é sobretudo gerado fora de Portugal.

 

Enfim, temos um Grupo transformado, simplificado, com menos 150 milhões de euros de dívida, mais margem EBITDA, mais focado estrategicamente, com mais mercados e mais de 4 mil milhões de euros de carteira de obras contratada.


Será com esta confiança que alcançaremos nos próximos 5 anos uma “Nova Dimensão”. Apresentado em 2014, o objetivo geral do Plano “Nova Dimensão – 3D” é, com Diversificação e Desenvolvimento, atingir e consolidar uma Dimensão de negócios superior a mil milhões de euros e EBITDA acima de 150 milhões de euros a partir de 2015.

 

Em termos específicos estão previstas várias ações em cada uma das três dimensões enunciadas no objetivo geral: Desenvolvimento, Diversificação e Dimensão.


Com o Plano “Nova Dimensão - 3D”, objetiva-se faturar mais de 800 milhões de euros neste ano de 2014 e atingir, para consolidar a nova dimensão, os mil milhões de euros de volume de negócios a partir de 2015.


Assim, assumimos 2014 como um ano de transição para a Nova Dimensão onde o compromisso resiliente com o Plano apresentado deverá levar, além dos 800 milhões de euros de negócios, a mais de 100 milhões de EBITDA e mais de 30 milhões de resultados. Estes são objetivos muito ambiciosos face à débil situação do setor em Portugal, no entanto, a consolidação das posições do Grupo na Venezuela, Angola e Brasil, a recuperação esperada na Argélia, a resposta aos investimentos comerciais na Europa Central e Marrocos, a reconquista do mercado de Moçambique e a diversificação para os novos mercados da Colômbia e México, deverão continuar a diminuir o peso do mercado nacional nos negócios e a sustentar o cumprimento dos objetivos definidos.

Em 2018, o Grupo Lena ambiciona ter consolidada a NOVA DIMENSÃO: com Desenvolvimento resultante de melhor gestão do risco, ainda melhor qualidade da informação e atividades exclusivamente no core de Construção, Ambiente e Energia; com Diversificação e inovação em novos mercados com atividades atuais, por um lado, e por outro, em novas atividades do core nos mercados atuais e ainda através da implementação do modelo formativo da Escola de Negócios em todos os mercados; e consequentemente com a Dimensão consolidada através da estrutura financeira e performance económica que garantam acesso ao mercado de capitais e com uma postura comercial que alimente uma carteira de negócios que sustente a NOVA DIMENSÃO.

newsletter